Como já divulgado anteriormente, o Projeto de Núcleo de Criação do grupo de danças Folclóricas Edelstein, consiste numa viagem de capacitação técnica (oficina de danças) ao sul do Brasil que, em seguida, se consolidará enquanto nova capacitação a ser oferecida pelo Edelstein a outros Grupos do ES, em suma, são propostas duas conexões: a dos Grupos do ES aos Grupos do RS, e outra conexão entre os grupos do ES.

Cumprindo o proposto no Projeto, no dia 08/09/2011 partiram rumo a Paverama no RS, dois casais do Edelstein, escolhidos pelo próprio Grupo considerando capacidade de aprendizagem e articulação, sendo: Luis Eduardo do Nascimento (Coordenador de Coreografia do Edelstein) e os integrantes Karina Spamer Dettmann, Álvaro Gumz e Élida Emilia Kalk, acompanhados do Coordenador Julio Carlos Dettmann.

O primeiro destino foi Paverama, visto que foi a cidade escolhida para ser a base para realização das oficinas de danças, esta cidade sedia o Grupo Danças Folclóricas Origens, grupo renomadíssimo que é coordenado pela brilhante Alici Feyh, integrante do Grupo desde a sua fundação em 1993, coordenadora do Grupo de Danças Folclóricas Origens (categorias Adulto e Casados) desde 2003 e do Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Vollerschwung, de Maratá/RS (categorias Infantil, Adulto e Casados) desde 2007, participante de cursos de formação de coordenadores de Grupos Folclóricos realizados pelo Departamento de Folclore Alemão da Associação Cultural Gramado desde o ano de 2002. Além de Alici, a oficina foi ministrada por Helder John, de Bom Princípio/RS, professor de Língua Alemã, integrante do Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Meine Freunde, desde 1997, coordenador do Grupo de Danças Folclóricas Alemãs Meine Freunde, categorias Infantil, Infanto-Juvenil, Juvenil, Adulto e Casados, desde o ano de 2002 e participante de cursos de formação de coordenadores de Grupos Folclóricos realizados pelo Departamento de Folclore Alemão da Associação Cultural Gramado desde o ano de 2002. Todo o material utilizado nas oficinas é oriundo da Associação Cultural Gramado (Casa da Juventude de Gramado), conforme previa o projeto.

Paverama

As oficinas foram intensas e produtivas, as danças, bem como ensinamentos referentes à postura, posicionamento, históricos das danças e trajes típicos, certamente transformarão e agregarão muitíssima qualidade ao Edelstein e a demais grupos que se beneficiarem com este conhecimento, contudo, o que há de ser relatado, é o que transcende ao planejado, afinal, desde o principio, sabia-se que os oficineiros eram aptos e competentes, desde o principio sabia-se que amplos eram os conhecimentos dos mesmos e que este conhecimento seria bem aproveitado em nosso meio, o que não se sabia, é que seríamos tão bem recebidos naquele lugar, que a hospitalidade daquele povo é tão carinhosa que nos conquistou e nos tocou já nos primeiros momentos, o que não se sabia, é que esta vivência de intercambio seria tão intensa em apenas cinco dias e que nos deixaria marcas tão positivas e lições tão produtivas.

Durante a oficina

De tantas, uma lição que podemos citar é a do amor pela tradição, sim amamos a nossa cultura e a nossa tradição, mas não como os gaúchos. Na primeira noite tivemos a oportunidade de conhecer um Centro de Tradições Gaúchas em Teutônia onde ocorria um baile ao som de muito vanerão com a banda “Os Serranos”, a grande maioria dos que freqüentavam o evento estavam tipicamente trajados com trajes sulistas – como prendas e peões – neste evento, foi o primeiro momento que constatamos o orgulho e o amor à tradição, o orgulho de ser gaúcho.

CTG - Centro de Tradições Gaúchas

Ao som do vanerão

Outro momento marcante foi a visita a 14ª Festa Nacional do Moranguinho de Bom Principio, uma mega estrutura onde, é claro, não faltava morangos em suas mais deliciosas variedades, neste dia, a participação de diversos grupos de danças folclóricas infantis, trouxeram o carisma das crianças ao grandioso evento.

Tipicamente trajados, experimentando deliciosos morangos

Entre um evento e outro, entre uma oficina e outra, éramos bajulados pelo povo paveramense, inclusive, como não poderia faltar, com um delicioso churrasco gaúcho, que certamente é insuperável. Chimarrão? Sim, muito, afinal, sentar numa roda de amigos, papear e tomar chimarrão é sempre um oportuno momento de confraternizar e trocar experiências.

Confraternizar é uma palavra chave na vivencia daquele povo, ficou evidente em vários momentos, o quanto a comunidade é unida e atuante, e o trabalho é compartilhado de maneira organizada – outra rica lição.

No último dia de viagem, uma escapada estratégica nos proporcionou momentos inesquecíveis: conhecer a histórica Catedral de pedra, uma fábrica de chocolates, o Mundo a Vapor e a Cascata de Caracol em Canela; conhecer Gramado com toda sua beleza arquitetônica e paisagística, além é claro do belíssimo Lago Negro, onde se situa a Casa da Juventude de Gramado; visitar a Vinícola Aurora acompanhando seu processo de produção, inclusive no subsolo da imponente fábrica situada em Bento Gonçalves; foram momentos breves na vivência, mas eternos na lembrança. Vejam os registros de alguns destes momentos:

A imponente Catedral de Pedra

A fascinante cascata do Caracol

O Mundo a Vapor

A deliciosa fábrica de chocolates

O belo Portal de Gramado

O lindo Lago Negro

Gramado

Casa da Juventude

Vinícola Aurora

É importante registrar que esta viagem de intercâmbio só foi possível graças ao Programa Rede Cultura Jovem e seus parceiros, mas contamos também com o apoio da Associação Pomerana de Pancas – APOP, Prefeitura Municipal de Pancas, Prefeitura Municipal de Teutônia, Grupo de Danças Folclóricas Origens e das Igrejas Católica e Luterana de Teutonia que cederam gentilmente seus espaços de infra-estrutura, bem como ao povo Paveramense. Todo o planejamento e contatos para organização da viagem foram realizados pelo amigo Werner Bruske de Domingos Martins, que voluntariamente, colocou-se a disposição do Edelstein tornando o sonho possível. É necessário e justo registrar um agradecimento especial a Kamila Lube que não só participou do intercâmbio, bem como teve grande participação em sua idealização e organização. Por fim, um agradecimento mais que especial a oficineira Alici Feyh, que nos cativou com o seu enorme talento, seu brilhante conhecimento e sua ímpar capacidade de estar em vários lugares ao mesmo tempo.

Álvaro, Élida, Karina, Luís, Julio, Kamila e Aloísio

Grupo de danças Edelstein, representado por dois casais

Queridíssima Alici

Por: Julio Carlos Dettmann